Em voo solo, vocal do Fresno canta em inglês o que não diria em português.

Em um período de dez dias de intervalo nos trabalhos de sua banda Fresno, o guitarrista e vocalista Lucas Silveira gravou seu primeiro álbum solo, “The rise and fall of Beeshop”. O disco junta composições feitas entre 2006 e 2009, sob a alcunha de Beeshop.

“Tudo começou quando eu tinha um fotolog. Eu fazia uns desenhos, fotografava, contando histórias que aconteciam comigo, e o bonequinho que eu desenhava era o Beeshop, eu gostava do nome. É com esse alter ego que eu experimento várias formas de cantar, várias formas de compor”, explica Lucas em entrevista por telefone ao G1.

Diferentemente do Fresno, que conta com letras em português, Lucas canta em inglês no seu trabalho solo. “Eu comecei a fazer as músicas em inglês e percebi que nelas eu me sentia mais livre para usar um tipo de metáfora que em português eu teria vergonha de cantar”, conta.

Novas influências
No Beeshop, o músico desfila influências que não combinam muito com o som emo da sua banda principal. “I was born in the 80’s” lembra Killers (mas Lucas jura que a intenção era parecer Smiths. “Só quando coloquei o teclado percebi o Killers”, diz), enquanto “Lovers are in trouble”, com clima de cabaré, “começou como uma tentativa de fazer uma nova ‘My melancholy blues’, do Queen”. Ele cita ainda Neil Young e sua “Harvest moon” como referência da melodia da folk “Cookies”.

“Talvez, se eu não gravasse esse disco, uma infinidade de pessoas não saberia que sou capaz disso, e que tenho todas essas referências. É uma chance de um cara que nem gosta da Fresno ouvir um Beeshop e dar o braço a torcer dizendo, ‘pô, eu gosto disso’”, provoca Lucas.

Novo Fresno só depois da Copa

Ele acabou de terminar as gravações de “Revanche”, novo álbum da Fresno, que deve ser lançado apenas em julho. “Vamos esperar a Copa passar, mas devemos lançar um single antes”. A decisão é para evitar o período em que “as pessoas estão interessadas em outras coisas – especialmente futebol”.

Foto: Divulgação

Fresno: disco novo, ‘Revanche’, só depois da Copa do Mundo. (Foto: Divulgação)

Enquanto a Fresno não entra em turnê com o novo disco, Lucas segue com seus planos, que incluem shows com o projeto solo “em cidades selecionadas, com uma estrutura menor”. Outro sonho é lançar o álbum do Beeshop em vinil. “Eu sonho muito com isso. É um som massa de ouvir no vinil, eu até faria uma master diferente para o formato. E acho que pode atingir esse público novo, que compra vinil do Radiohead”.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s